terça-feira, 30 de junho de 2015

Novo Zoneamento? Como participar e dar sua opinião?

Prezados vizinhos,

Vocês sabiam que pelo novo projeto de  lei de zoneamento de São Paulo a Rua São Benedito vai receber o mesmo zoneamento da Rua Teodoro Sampaio? O novo zoneamento será o mesmo da  Av. Santo Amaro em alguns trechos, da Av. Washington Luís, e de outras ruas de grande movimento. A   Av, Vicente Rao, pelo mapa de zoneamento, terá um zoneamento mais restritivo do que o lado impar da Rua São Benedito. Isso, sem falar do lado par.. Zona de Corredor!!

Vocês já imaginaram que com esse novo zoneamento, todos nossos vizinhos da rua São Benedito e de um lado da Rua Com. Elias Zarzur, podem ter como vizinhos de fundos ou dos lados supermercados, escolas, oficinas, restaurantes, salões de festas, etc. E que no horário comercial terão barulho e vibrações compatíveis com o zoneamento aplicado na Rua Teodoro Sampaio.. Dá para acreditar que essa lei foi proposta com estudo técnico?

Esse fato  é reconhecido pela Prefeitura que no plano deixa claro que serão admitidos na São Benedito: “uso não residencial incômodo à vizinhança residencial”, com todas as letras.
Consultem o site da gestão urbana da prefeitura e vejam o tamanho do estrago que está sendo proposto pela prefeitura: http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/arquivos-do-pl/

Os moradores precisam participar e expressar suas opiniões e isso pode ser feito  de diversas formas.
Algumas delas são:


1)Escrevam suas opiniões no site da Câmara: http://www.camara.sp.gov.br/zoneamento/


2) Assinem e promovam os abaixo assinados dos moradores (apenas moradores dos bairros devem assinar);


3) Converse com vizinhos e conhecidos do bairro e expliquem a eles o que significam essas mudanças na nova lei de zoneamento e todas as consequências que elas trarão para a região;


4) Enviem e-mail aos vizinhos, publiquem no Facebook suas opiniões;


4) Coloquem faixas expressando suas opiniões nas casas e nos carros ( segundo as restrições da lei Cidade Limpa);


5) Enviem e-mails aos vereadores que serão responsáveis pela votação dessa lei expressando suas opiniões.


Essas manifestação serão legítimas dos moradores dos nossos bairros e o momento e agora! Depois que a lei for aprovada, teremos  que  conviver  com todas as consequências dessas mudanças!

O prefeito e os vereadores não moram no Alto da Boa Vista!!



Quanto ao abaixo assinado, se assim o desejarem, basta dizerem que são contra a proposta de alterar o zoneamento atual de ZER e Z8CR6 - que permite prédios residenciais com até 8 andares do lado impar da rua.

Lembrem-se que os serviços e escritórios hoje existentes, além de não representarem a maioria das edificações da rua (69 contra 102 residências mais de 560 apartamentos) só estão lá porque a falta de fiscalização da PMSP permitiu a permanência.

Além do desconforto que os moradores terão com aumento de carros e trânsito, terão também que conviver com barulho permitidos durante 24 horas, vibrações e emissões de gases.
Podemos enviar o documento documento para o abaixo assinado aos que desejarem imprimir e repassar.


Por favor, participem!!!

sajape@sajape.org.br / sababv@altodaboavista.org.br
Telefones: 5532-1367 e 3854-7372
Blog: http://blogmaisacao.blogspot.com.br
Sede: Av. Adolfo Pinheiro, 2464 – cj. 33

Abraços,
SABABV – Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista
SAJAPE – Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados
CIRANDA – Comunidade e Cidadania

quinta-feira, 25 de junho de 2015

SABABV - Nova Lei de zoneamento proposta pela Prefeitura de São Paulo

Prezados Vizinhos,


Para os que ainda não sabem, o Sr. Prefeito de São Paulo enviou à Câmara Municipal um projeto de Lei de Uso de Solo que prevê uma grande alteração no Zoneamento da Rua São Benedito, com grande potencial de
perda de qualidade de vida para os moradores sem falar na desvalorização dos imóveis:

A Rua São Benedito, se a Lei for aprovada como está, será a ÚNICA rua interna a um bairro (para não falar de um bairro que é ZER ) com:

ZC: Zona de Centralidade- Isso do lado IMPAR

mesmo Zoneamento que será aplicado na Av. Adolfo Pinheiro e nas seguintes avenidas:

Av. Giovanni Gronchi,

Av. Guilherme Dumont Villares,

Av. Brig. Luiz Antonio- (parte abaixo da Av.Brasil),

Av. Santo Amaro ( lado ímpar entre o fim da Brig. Luiz Antonio e a Av. dos Bandeirantes),

Av Engenheiro Luiz Carlos Berrini,

Av. Caxingui,

Av. Corifeu de Azevedo Marques e

Ruas: Teodoro Sampaio, Augusta e Joaquim Floriano.


O mesmo ocorre com o zoneamento proposto para o lado par da Rua São Benedito:

Zona Corredor 3. Isso significa que esse lado da rua será igualado em termos de uso às Avenidas:

Av. Sumaré,

Av. Paulo VI,

Rua Miruna,

Av. Morumbi,

Av. Vicente Rao,

Av.Vereador José Diniz,

Av. Washington Luís e

Rua Alvarenga.


Trocando em miúdos poderão se instalar dos dois lados da rua: todo tipo de comércio, serviços, escolas em todos os graus, hospitais, igrejas, áreas de eventos para até 500 pessoas, fábricas, oficinas e serviços públicos.


Estamos solicitando aos moradores que se manifestam contra esse abuso através de um abaixo assinado, colocando placas em seus muros, e enviando emails para os vereadores ( lista de e-mails disponível no anexo)


Quanto ao abaixo assinado, se assim o desejarem, basta dizerem que são contra a proposta de alterar o zoneamento atual de ZER e Z8CR6 - que permite prédios residenciais com até 8 andares do lado impar da rua.


Lembrem-se que os serviços e escritórios hoje existentes, além de não representarem a maioria das edificações da rua (69 contra 102 residencias mais de 560 apartamentos) só estão lá porque a fiscalização da PMSP permitiu a permanência.


Por que milagre essa fiscalização funcionará no futuro?


Além do desconforto que os moradores terão com aumento de carros e trânsito, terão também que conviver com barulho permitidos durante 24 horas, vibrações e emissões de gases.


Consulte o site da gestão urbana da prefeitura e veja o tamanho do estrago que está sendo proposto pela prefeitura: http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/arquivos-do-pl/


Cordialmente,

SABABV e SAJAPE
Caso queiram, entrem em contato conosco e lhes forneceremos os  endereços de e-mail´s de todos os vereadores ou visitem o site da Câmara: http://www.camara.sp.gov.br/



Se você ainda não se cadastrou, por favor, faça-o através de nossos sites:
SABABV: http://altodaboavista.org.br/
SAJAPE: http://www.sajape.org.br/

sajape@sajape.org.br /sababv@altodaboavista.org.br
Telefones: 5532-1367 e 3854-7372
Blog: http://blogmaisacao.blogspot.com.br/
Sede: Av. Adolfo Pinheiro, 2464 – cj. 33

Abraços,
SABABV – Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista
SAJAPE – Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados
CIRANDA – Comunidade e Cidadania


Carta de morador “Sabesp, não perturbe o meu sossego”.


Quem passa a pela Rua Graham Bell, visualiza as placas informando sobre a modernização da estação de tratamento, os investimentos que beiram os R$ 50 milhões na instalação do sistema de ultrafiltração por membranas.

Esqueceram-se de um detalhe, notado apenas pelos moradores dessa rua. O ruído constante gerado pelas máquinas integrantes do sistema de ultrafiltração.

Fato é que desde que foi colocado em funcionamento de final de Janeiro, nós, os moradores da Graham Bell entre a Ministro e a Zarzur, perdemos o sossego e a tranquilidade dentro de nossas próprias casas.

Nos foi imposto o convívio constante, 24 horas por dia 7 dias por semana com ruído proveniente de nosso vizinho.

Ainda em Fevereiro formalizamos uma queixa junto a ETA. A resposta foi rápida. Enviaram em minha casa no período noturno uma equipe de técnicos munidos com o decibelímetro. Foram realizadas medições em meu quintal e no interior de minha casa. Dias depois o resultado foi apresentado. Em resumo:

A Sabesp realizou uma medição na minha casa em 10/03/2015.

Resultados, segundo e-mail do  funcionário da SABESP, Sr. Aurildo Santos (PR da ETA):

"Quanto a aferição dos  ruídos -  Na residência do morador, nos pontos indicados pelo reclamante no horário em torno de 22h :
- Sala de estar (lado externo) na direção  do micro computador local de trabalho da esposa, valor verificado 45 db
- Sala de estar (lado interno) próximo ao micro computador local de trabalho da esposa, valor verificado 43 db
- Quintal localizado na parte de trás da casa. valor verificado 40db
- Calçada em frente a casa do reclamante, 48db”.

O Laudo seguiu a normatização de um zoneamento que não corresponde ao Alto da Boa Vista. Os ruídos máximos permitidos em ZER,  segundo  a norma: NBR10151 são de 50 db (diurno) e 45 db (noturno), abaixo do aferido pela própria SABESP.

Não só há um ruído constante como uma vibração capaz de deixar qualquer cidadão estressado.

Esse problema dos moradores com a SABESP não é novo. Há 2 anos atrás, varias reuniões entre SABESP e moradores aconteceram para minimizar um outro  ruido. Naquela época foram sugeridas placas no muro e fechamento acústico dos equipamentos ruidosos entre outras alternativas. A SABESP realizou após muitas conversas o isolamento acústico dos equipamentos e o problema foi resolvido.

Desta vez comprometeram-se a resolver o problema em 2 meses, prazo que já era descabido dado o incômodo provocado pela situação.  Fato é,  que o prazo de “até 2 meses” passou e o nível de ruído permanece inalterado.

A sensação é de grande frustração, some-se a isso o fato da dificuldade em se obter respostas aos e-mails enviados à SABESP.

Solicitamos uma medida de contorno, várias vezes, solicitando o desligamento dos equipamentos durante a noite e finais de semana. Resposta: nenhuma. . É injustificável a imposição de tamanho desconforto aos moradores sob alegação de que o barulho é causado por atividade “de utilidade pública”. Entendo que a Sabesp tem seus processos e procedimentos, mas particularmente no caso da ETA Alto da Boa Vista, esta está localizada dentro da cidade e dessa forma, os cuidados com esses equipamentos deveriam ser maior, diferenciado, planejado. Só por que do outro lado da rua moram recém nascidos, crianças, idosos com saúde debilitada e profissionais que em alguns casos trabalham em casa, agravando a situação dado que ficam expostos ao barulho permanentemente. Obviamente que gostaríamos de obter de volta nosso SOSSEGO por vias amigáveis, o que até o momento, não aconteceu. Como moramos num país onde o cidadão honesto, pagador de impostos e sem nenhum retorno precisa gritar e alto pra ser ouvido e levado a sério, começo a imaginar que estamos gritando no lugar errado.



'

Projeto de Segurança

Dando continuidade ao combinado na reunião de segurança de 15 de junho p.p., foi realizada ontem na Escola Suiço-Brasileira, a primeira reunião do Grupo Segurança. A reunião teve como objetivo a formação dos grupos de trabalho e a definição de  suas respectivas tarefas.
Uma nova reunião já está agendada para o próximo dia 30, local e hora serão informados posteriormente. Quem  tiver interesse em participar é só entrar em contato conosco  via  e-mail ou telefone.
SAJAPE -    fone 3854 7372  sajape@sajape.org.br
SABABV -  fone 5532 1367  sababv@altodaboavista.org.br

quinta-feira, 18 de junho de 2015

COMUNICADO : JAM DO CORDEIRO.


No próximo domingo, 21/06, a partir das 11:00h teremos a JAM DO CORDEIRO.
Estão todos convidados!
Venham cantar, dançar e se divertir!

Patrícia Niza Maximiuc
Adm. do Parque do Cordeiro-Martin Luther King
R. Breves, 968 - Chác. Monte Alegre
Tel.: 11 5524.5738 

"Uma lei de zoneamento para o setor imobiliário"


 A proposta da prefeitura para a nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) atende generosamente aos interesses do setor imobiliário. Terrenos com custos mais altos encarecem também as edificações, e o adensamento em corredores já saturados têm impacto sobre os bairros vizinhos, cuja infraestrutura hoje não dá conta nem mesmo do que já existe.

O que será de nossa cidade?
O Projeto de Lei está nas mãos dos vereadores, é preciso que todos participem das discussões na Câmara.
Entre em contato com sua associação de  moradores.

Saiu no DCI: "Valor do terreno em São Paulo subirá com Lei do Zoneamento". Para ler na íntegra, clique na imagem.


Mudanças na Lei de Zoneamento: consequências para Alto da Boa Vista



O que muda no Alto da Boa Vista com a nova Lei de Zoneamento que tramita na Câmara dos Vereadores?

De modo geral, a proposta de Lei de Uso de Solo da PMSP faz um ataque a todas as Zonas Estritamente Residenciais (ZER) da cidade de São Paulo, circundando-as e até partindo-as usando as chamadas Zonas Corredores (ZCOR), que variam de gravidade de 1 a 3, sendo que a liberalidade cresce proporcionalmente ao número. No caso do Alto da Boa Vista, a rua escolhida para essa finalidade foi a São Benedito, tanto do lado par quanto do lado ímpar.

As mudanças afetarão muito o entorno de quem reside na região, uma vez que vários usos passarão a ser aceitos.

Para melhor compreender as mudanças que ocorrerão no bairro, acesse o documento que preparamos sobre o assunto.

E não deixe de se manifestar contra as mudanças enviando um e-mail para os vereadores de São Paulo. Clique aqui para acessar a lista de endereços eletrônicos.

SABABV - Assoc. de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista
Fone: 5532 1367


Segurança - Ata reunião de 15/06/2014

Prezados vizinhos,

agradecemos aos moradores, que apesar do frio e chuva, compareceram em grande número à nossa reunião sobre segurança, cujo objetivo central foi discutir ações simples, mas que exigem muita colaboração e participação para que tenhamos como melhorar a situação em nossa região.
Sabemos que não são ações isoladas que farão a diferença. Mas com iniciativas coletivas, com certeza veremos bons resultados para a prevenção das ocorrências.

LUOS: Projeto de Lei de Uso e Ocupação do Solo
Antes de entrar no tema da reunião, alertamos os moradores sobre os descalabros que estão sendo propostos no projeto da nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS), que complementa o Plano Diretor Estratégico da cidade (PDE). Em nossa região, a proposta é transformar alguns quarteirões da Rua São Benedito, que hoje é uma Zona Estritamente Residencial (ZER) em ZC de um lado e Zcor-3 do outro lado. Isso significa que teremos, no lado par, uso não residencial “compatível”com a vizinhança residencial; e do lado ímpar, usos que a própria Prefeitura classifica como uso não residencial especial ou incômodo à vizinhança residencial. O detalhe é que não há justificativas técnicas para essas mudanças: trata-se apenas de atender aos interesses de empresas que hoje estão instaladas irregularmente nessa rua.

Só para dar idéia do tamanho do estrago, aqui estão alguns exemplos dados pela própria prefeitura de usos permitidos para esses quarteirões: local de eventos e reuniões médio porte com lotação de até 500 pessoas, incluindo os locais de culto, comércio de abastecimento de grande porte, com dimensão superior a 2.000m² de área construída computável; comércio de alimentação de grande porte, com lotação superior a 500 lugares.

As associações vêm-se organizando para enfrentar o debate na Câmara, e pediremos a colaboração de todos para que se manifestem junto aos vereadores. Precisamos proteger nossa região de decisões políticas e não técnicas!

Maiores informações a esse respeito serão enviadas em breve por outro e-mail.

SEGURANÇA
Para exemplificar algumas ações de projetos de segurança comunitária, convidamos Marcelo Byrro, morador do Morumbi, que apresentou o projeto de segurança comunitária que já vem sendo aplicado em seu bairro. O projeto Segurança do Morumbi– RCS-PM – Rede Comunitária de Segurança com a Polícia Militar – consiste basicamente em uma rede formada por condomínios e a Polícia Militar, que faz o monitoramento das vias com câmeras instaladas pelos próprios edifícios, e mantém comunicação direta de porteiros com a Base Comunitária da Polícia, por meio do Skype. Embora não se encaixe diretamente no perfil de nossa região, por ser basicamente entre prédios, apresenta vários pontos muito interessantes: instalação de câmaras, melhor contato dos moradores e trabalhadores com a polícia, capacitação dos porteiros e vigias pelos cursos administrados pela polícia, melhor comunicação entre os vizinhos, entre outros.

Além desse, foi explicado o projeto que já vem sendo executado na região da SAJAPE, chamado Meu vizinho está de olho: sob a coordenação de um dos participantes, formam-se grupos de moradores vizinhos, que colocam placas em seus imóveis identificando as residências que participam do projeto. A qualquer sinal de atividade suspeita, o proprietário é alertado, ou os próprios vizinhos acionam a polícia.

Ainda a respeito de segurança, há ainda outro projeto no bairro, chamado Amigos do Quadrilátero, cujo objetivo é divulgar a moradores cadastrados, por e-mail, informações sobre ocorrências registradas nas imediações, para que todos fiquem atentos ao “modus operandi” dos meliantes. Os levantamentos das ocorrências são tabulados e repassados aos policiais.

Além desses, relatamos alguns outros projetos pontuais que vêm sendo realizados com câmaras e guaritas elevadas em nosso bairro.

Próximos passos
Para dar andamento à iniciativa, as diferentes sugestões serão agora discutidas em reuniões de trabalho, e alguns moradores já se inscreveram para participar desses grupos.

A ideia é começar o trabalho pelos seguintes itens :
1. Mapeamento de líderes do quarteirão (voluntários, síndicos, representante de guarita, escolas, igrejas…) para reuniões de trabalho;
2. Definição das práticas de segurança (conhecer vizinhos, comunicação entre guaritas, WhatsApp, Vizinhança Solidária, Amigos do Quadrilátero, câmeras etc.);
3. Processo de cadastramento de vigias;
4. Definição do manual de procedimentos do vigia, morador e funcionário;
5. Padronização de guaritas e vigias;
6. Placas de sinalização do monitoramento do bairro.

A reunião do grupo será dia 24 de junho às 20h, os interessados em fazer parte do grupo de segurança, por favor confirmem a presença para informação do local.

Gostaríamos muito de receber comentários, sugestões, relatos... e mesmo críticas. Qualquer manifestação é melhor do que a falta de envolvimento dos moradores.
Participem!!! Colaborem!!!

Se você ainda não se cadastrou, por favor, faça-o através de nossos sites:
SABABV: www. altodaboavista.org.br
SAJAPE: www.sajape.org.br

sajape@sajape.org.br / sababv@altodaboavista.org.br
Telefones: 5532-1367 e 3854-7372
Blog: http://blogmaisacao.blogspot.com.br
Sede: Av. Adolfo Pinheiro, 2464 – cj. 33

Abraços,
SABABV – Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista
SAJAPE – Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados
CIRANDA – Comunidade e Cidadania


Junho, 2015 

Encontro Rede Santo Amaro - Convite Café Social em Rede


Informamos  que o encontro da Rede Santo Amaro deste mês, foi adiado para o dia 30/06/2015, 3ªf.  das 9h30 às 12h00, na UNISA  – Campus II, localizada na Rua Isabel Shimidt, 349 - Santo Amaro (mini auditório) – (Próximo ao Shopping Boa Vista).

Programação:

9h00 - Palestra 1:  Responsabilidade Social – Atuação das empresas no Terceiro Setor – (Palestrante: Marcos Simões de Carvalho)

9h40 - Palestra 2:  Como a Rede Santo Amaro atua na região de Santo Amaro – Palestrante: Maria Dilma de Lima Martins (Docente/Mediadora do Senac Largo Treze


Favor confirmar presença até o dia 26/06/2015 pelo telefone (11) 98038-5294 ou pelo e-mail redesantoamaro@gmail.co

Senac Largo Treze

Senac São Paulo

Tel.: 55 11 3737-3900 Ramal 3954

Fax:  55 11 3737-3936

www.sp.senac.br/largotreze

OFICINA:VAMOS SEMEAR UMA FRUTÍFERA

Para se inscrever acesse o site:http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/servicos/escola_de_jardinagem/noticias/?p=196541

NOTA PÚBLICA - Movimento Belas Artes




Movimento Cine Belas Artes cobra compromissos assumidos pela Prefeitura de São Paulo,  após 1 ano da reabertura do cinema
No próximo dia 19 de julho de 2015, comemoramos um ano da estrondosa vitória da cidadania cultural na cidade de São Paulo: a reabertura do Cine Belas Artes, após três anos e meio de mobilização – a maior já ocorrida no Brasil por um patrimônio cultural.
Consideramos urgente, porém, tornar público nosso descontentamento em relação à não implementação de propostas que visam proteger o futuro do Belas Artes, preservar a memória de nossa luta e inspirar cidadãos e grupos sociais na defesa de nossos patrimônios históricos, culturais e afetivos, evitando que sejam destruídos pelo mercado imobiliário.
A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) de São Paulo ainda não cumpriu alguns compromissos assumidos com o MBA há cerca de um ano, como a implementação do Conselho de Amigos do Cine Belas Artes, a instalação de uma placa alusiva à mobilização e a produção de uma vinheta de alguns segundos para contar como foi possível realizar o sonho de reabrir o cinema.
O Conselho proposto pelo MBA foi considerado uma ideia inovadora e elemento capaz de materializar a participação da sociedade civil, do Poder Público e do setor privado na tarefa de preservação do Cine Belas Artes de maneira estrutural, bem como de integrá-lo ao Território de Interesse da Cultura e da Paisagem Paulista/Luz e apoiar sua transformação em Zepec-APC (Zona Especial de Preservação Cultural – Área de Proteção Cultural).
Infelizmente, o MBA continua ausente no painel de fotografias montado no térreo do cinema e na vinheta veiculada antes dos filmes, que, sem citá-lo, utiliza informações do Movimento, como as 90 mil adesões ao Causes do MBA no Facebook.
Outros compromissos incluem a execução e supervisão pela SMC do acordo de cogestão do Belas Artes entre a Prefeitura e o gestor privado do cinema e a administração da "Sala SPCine Aleijadinho" pelaagência SPCine, mediante interlocução com a sociedade.
Ressaltamos que a Caixa aceitou patrocinar o cinema em decorrência de sua função sociocultural de alta relevância para a cidade e o Brasil e pela força da mobilização, que incansavelmente manteve em pauta a retomada do espaço.
Esperamos que o Secretário Nabil Bonduki, titular da SMC desde fevereiro e apoiador do MBA desde o início do movimento, emjaneiro de 2011,anuncie um cronograma para cumprir os compromissos até a comemoração de um ano da reabertura.
O conjunto de propostas entregues à SMC em outubro passado, e ainda aguardando resposta, pode ser conferido no sítio do MBA na internet – www.movimentocinebelasartes.com – ou solicitado pelo email movimentocinebelasartes@gmail.com.
São Paulo, 10 de Junho de 2015.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Palestra: Pragas e Doenças

Para inscrições acesse:http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/servicos/escola_de_jardinagem/noticias/index.php?p=196546

Convite da SAJAPE e SABABV: Reunião de Segurança 15/06/15- Igreja Anglicana


Prezados vizinhos,


SABABV e SAJAPE convidam a todos para falar de segurança, ou melhor, da falta dela. Um problema crescente na cidade e, em particular, na região onde vivemos.

 Acreditamos que medidas preventivas, realizadas através de uma rede organizada de comunicação entre os vizinhos e a Polícia, podem ajudar no processo de buscas de mecanismos que nos deixem menos vulneráveis à violência. No exterior, programas como estes já fazem parte do cotidiano de várias cidades e, no Brasil, também temos algumas experiências em andamento com resultados interessantes, inclusive em bairros de São Paulo.

Vocês já devem ter ouvido falar em programas como Segurança Solidária, Meu vizinho está de olho, RCS-PM- Rede Comunitária de Segurança com a Polícia Militar. Cada um deles tem características específicas, porém a matriz é a mesma: estreitar o elo entre a comunidade e as forças de segurança pública, sendo que, o ponto de partida é que os vizinhos se organizem para estabelecer uma linha direta de comunicação com a polícia.

Para conhecermos melhor esses projetos e entender o que pode ser mais eficiente para cada bairro ou grupos dentro dos bairros, convidamos alguns coordenadores de diferentes programas já implantados em São Paulo, para compartilhar conosco suas experiências. Uma oportunidade para saber como outros moradores da cidade estão enfrentando o problema da falta de segurança e também fazer perguntas e pensarmos juntos em ações que podem beneficiar a todos.

Esperamos vocês na próxima segunda-feira, 15 de junho, das  20:00 às 22:00 horas, na Catedral Anglicana.
Rua Comendador Elias Zarzur, 1239- Alto Boa Vista


Favor confirmar presença pelo endereço: secretaria@sajape.org.br.


Obrigada,
SABABV e SAJAPE

EINLADUNG JUNIFEST 2015 / FESTA JUNINA - É NESTE SABADO DIA 13


quarta-feira, 3 de junho de 2015

Nova Lei de Zoneamento - Pelo direito de morar tranquilo

Prezados ,

ontem o Secretário Municipal do Desenvolvimento Urbano,  Fernando de Mello Franco entregou à Câmara dos vereadores de São Paulo o novo projeto de lei de revisão de zoneamento da cidade. Agora cabe ao legislativo dar continuidade ao processo do Plano Diretor.
Esperamos que o bom senso e a vontade da maioria prevaleçam e que nossas zonas residenciais sejam preservadas.


Abaixo o texto do professor Urbanista Cândido Malta Campos Filho a esse respeito:



Candido Malta Campos Filho: Pelo direito de morar tranquilo

O direito de morar tranquilo é fundamental. O administrador de toda cidade civilizada deve assegurar o direito de ir e vir associado ao de morar bem. Por isso deve fazer um planejamento do zoneamento articulado ao de transporte, com os devidos cálculos técnicos.

Em São Paulo, há poucas ilhas de tranquilidade, bairros que são unidades de vizinhança poupadas do caos urbano que impera. O projeto de zoneamento anunciado pelo prefeito Fernando Haddad, sem nenhuma articulação com o sistema de circulação, coloca em risco essas ilhas.

Se a proposta for aprovada, bairros residenciais como os Jardins –América, Europa, Paulista , Paulistano, da Saúde, Previdência, São Bento–, Boaçava, Lusitânia, Pacaembu, Morumbi, Alto de Pinheiros, Sumaré, Alto da Lapa, Alto da Boa Vista, entre outros, estarão seriamente ameaçados.

A lei ampliará o número e a largura de corredores comerciais e, praticamente sem limite, os usos permitidos. Algumas Zonas Exclusivamente Residenciais (ZERs) passarão a ser consideradas Zonas Predominantemente Residenciais, o que abre brechas para a instalação de comércio.

As "zonas de corredor 1 e 2", que cercam e passam por esses bairros residenciais, terão uso comercial e de serviços aumentados. Novos corredores serão criados, transformando ruas residenciais em comerciais. Caso da Alvilândia, Alto de Pinheiros, e Abegoária, Jardim das Bandeiras. É um projeto que não diz respeito só aos moradores desses bairros, mas a toda a cidade.

Os Jardins América, Europa, Paulista e Paulistano são a região mais arborizada da cidade, uma ilha verde em meio a um mar de prédios, e prestam um serviço ambiental à cidade no Centro Expandido. Os moradores pagam um IPTU mais caro para viver lá e a arrecadação beneficia toda a cidade.

Como bem definiu o líder do PSDB na Câmara Municipal, Andrea Matarazzo, "Haddad está transformando uma questão urbanística em ideológica [...] Os Jardins, assim como as outras zonas estritamente residenciais, são o pulmão verde da cidade. Mas ele acha que são bairros de luxo e de ricos e, por isso, devem ser mexidos". Até eliminados, acrescento eu.

Melhor do que criar novas leis seria adotar o inovador Plano de Bairro, introduzido em 2004 pela lei nº 13.885, que prevê que os moradores participem da definição do uso e ocupação de cada região. E o que a maioria dos moradores quer é viver em "ilhas de tranquilidade", ampliação das ZERs, não a destruição.

É o que demonstraram os moradores de Perus pelo Plano de Bairro, que tramita na Câmara, ao votarem maciçamente a favor de "ilhas de tranquilidade" e colocando nelas bibliotecas, escolas, creches e postos de saúde, garantindo acesso seguro para os mais vulneráveis.

O que o prefeito Fernando Haddad propõe, no entanto é a extinção do Plano de Bairro, com esses poderes. Um grande retrocesso.

A busca de repouso na moradia após um dia de trabalho para obter equilíbrio físico e emocional é condição de vida saudável. A prefeitura deveria zelar pela qualidade de vida, mas prefere piorar o pouco que já está bom. Que projeto de cidade justifica tornar todos os bairros igualmente movimentados, estressantes para a maioria, entupidos de prédios, sem cálculo que o justifique e sem o verde que ameniza a dureza do concreto?

O que esperar de uma cidade que historicamente vem se desequilibrando do ponto de vista socioambiental, e onde a ocupação dos mananciais de água potável é estimulada, com o risco de os perdemos? Por que aumentar os custos de se produzir em São Paulo, pelos congestionamentos crescentes, em vez de procurar reduzi-los?

Por que não combater a especulação imobiliária com uma reforma urbana que possibilite amplo acesso a moradias de qualidade? O prefeito Fernando Haddad, na questão urbana, parece perseguir o "quanto pior melhor".

CANDIDO MALTA CAMPOS FILHO, 78, arquiteto e urbanista, é professor emérito da FAU-USP